quinta-feira, 25 de junho de 2015

Sociedade Alternativa - Raul Seixas e o Ocultismo

Sociedade Alternativa, raul seixas, ocultismo


Enquanto Raul Seixas fazia um sucesso tremendo com "Sociedade Alternativa" algumas pessoas procuravam respostas sobre o que poderia ser essa tal sociedade alternativa. As respostas obtidas sobre esse grupo tão emblemático vocês conferem a seguir.

Houve uma grande e tremenda busca para saber o que era, e o melhor, como fazer parte da sociedade. A fama que ele ganhou foi gigante e os mistérios sob ela também só aumentaram, quando nem o próprio Raul Seixas conseguia definir exatamente o que era, ou como funcionava essa sociedade.


A ex-mulher de Raul que mantem ligação direta com a obra do artista, que define a Sociedade Alternativa como um sonho dele sobre o ponto de vista do público. Onde haveria uma união de todos. Raul acreditava nisso, porém nunca de fato conseguiu concretizar esse sonho.


Essa ideia se iniciou em 1971, quando Raulzito conheceu Paulo Coelho, hoje sendo o autor mais traduzido do mundo. Raul tomou a iniciativa de procura-lo, ao ler um artigo sobre disco voadores numa revista alternativa que Paulo Coelho dirigia, chamada "A Pomba".


Paulho Coelho e Raul Seixas, Sociedade Alternativa

Quando se encontraram, a sintonia entre os dois foi tão grande que em pouco tempo já eram amigos da vida, Paulo Coelho inclusive teve papel fundamental nos sucessos de Raul, quando ajudara ele a compor grandes clássicos como "Eu Nasci Há 1000 Anos Atrás" e "Gita".

E juntos os dois de fato formaram a Sociedade Alternativa, ela que foi originada a partir de divagações mistico-filosóficas da dupla, que procurava, cada um a sua maneira um caminho para trilhar de modo que não fosse de fato pré-estabelecido. E os dois encontraram, como base de pensamento, as ideias apresentadas por um dos maiores estudiosos do ocultismo, o excêntrico Alesteir Crowley.


Dentro das ideias de Crowley foi definido em seu maior livro que seriam os conceitos da Sociedade Alternativa, o livro em questão era o "Liber Al Vel Legis" (O Livro da Lei). E dentro dele fica evidente que a vontade do ser deve ser o teu guiador de conduta apenas.

Este livro chegou a ser publicado no Brasil apenas no ano de 1976. e depois de uns poucos dias, a circulação foi interrompida e todos os exemplares se perderam, ainda é possível encontrar o livro em algumas lojas de artigos esotéricos, mas geralmente se encontram apenas em inglês ou espanhol.

(Atualização: Em 2017 foi lançada uma nova versão do Livro da Lei aqui no Brasil, e em português, o mesmo já está disponível para venda nas livrarias).


Crowley, Thelema, Ocultismo


A proibição do livro se deu quase que exclusivamente sobre a péssima fama que Alesteir Crowley carregava consigo mesmo, era considerado por muitos como maligno, perigoso. Mas isso se deve apenas a ele próprio que usava essa imagem para simplesmente se sobrepor a suas reais ideias ligadas à Verdadeira Tradição (faz o que tu queres).

O contato com as ideias do Livro da Lei marcariam a carreira de Raul Seixas para sempre. Não importa o trabalho de Raul que peguemos, a partir daí, sempre encontraremos uma influência filosófica e mística no pensamento do compositor.

A mais clara e famosa dessas referências foi a célebre canção "Sociedade Alternativa", onde várias frases do livro são citadas. A mais conhecida "Faz o que tu queres, há de ser tudo da lei". Ainda que no final da música Raulzito avisa a todos que "O número 666 chama-se Alesteir Crowley".

raul seixas, as profecias, ocultismo


Não só essa música, mas todo o álbum "Gita" continha, ou melhor, contém uma série de referências as ideias de Crowley. O nome do disco é uma homenagem ao livro sagrado dos indianos, e a música "O Trem das Sete" também está repleta de citações. Na canção, Raul usa como alegoria um trem que passava em sua cidade durante a infância. Esse trem passará para buscar os iluminados já aptos a entrar na Era de Aquário. A letra diz: "Vê, é o sinal das trombetas dos anjos e dos guardiões, lá vem Deus deslizando no céu entre plumas e mil megatons, e o mal vem de braços e abraços com o bem num romance astral". Esse seriam os sinais de que o trem estaria chegando e quem quisesse poderia embarcar, já que: "não precisa de passagem nem mesmo bagagem no trem".

Em 1975, Raul anuncia a Nova Era, lançando o disco "Novo Aeon", uma outra denominação da mesma Era de Aquário, sendo entendido em Thelema como o Aeon de Hórus. Em 1976 um dos maiores sucessos de Raul "Eu Nasci Há Dez Mil Anos Atrás" também com citações à Nova Era. Observe-se que, pela mística, há dez mil anos atrás nós estávamos na era de Leão-Aquário, que é diametralmente oposta à nova era de Aquário-Leão que agora está sendo buscada. 
No seu penúltimo álbum, "A Pedra de Gênesis", de 1988, Raul reafirma-se thelemita na canção "A Lei", que, apesar de constas nos créditos como sua, é, da primeira à última linha uma transcrição fiel de uma das páginas mais conhecidas de Alesteir Crowley, o "Liber Oz".

A Sociedade Alternativa, se fundamentou em alguns conceitos básicos que remetem a "palavras-chaves", algumas delas fazem parte de trechos das obras de Crowley, ou ainda, alguns termos e acontecimentos que serviram para a fundamentação do conceito da Sociedade Alternativa.

Raul Seixas e o ocultismo

Como já foi dito anteriormente, toda a teoria da Sociedade Alternativa era baseada nos textos de Crowley, e as letras de Seixas com Coelho. Existe uma ausência de material documental que explique como fazer para chegar a ser um cidadão de tal Sociedade Alternativa, por isso, diversas interpretações foram sendo feitas. Falta material coerente para definir o que seria a Sociedade Alternativa, mesmo assim, muitos "rau lseixistas" continuam sonhando com a chamada Cidade das Estrelas.

Raulzito tinha como objetivo formar não uma comunidade, mas de forma mais anárquica, algo que seria mais espiritual do que material. E assim, estando de acordo com Crowley, que defendia uma revolução interna do ser humano. A Sociedade Alternativa seria apenas a reunião de todos aqueles que estivessem preparados para entrar na Era de Aquário, ou seja, embarcar no Trem das Sete.

Um dos amigos do músico contou uma história que mostra a ingenuidade a dupla ao tentar definir a Sociedade Alternativa, Roberto Menescal, diz que em 1974, Raul e Paulo, receberam um convite do general Erneste que exigia maiores informações sobre a nova sociedade. Segunda Menescal, ficaram na maior alegria quando receberam o comunicado, porque realmente acreditavam que o governo militar queria discutir com eles suas ideias. Fizeram então diversos contatos com acessosres do governo militar, o resultado dessa confiança traduziu-se em buscas ilegais em seus apartamentos, prisão e posteriormente o exílio nos EUA.

Segundo Raul, ele foi torturado para poder dizer os nomes de todos aqueles que faziam parte da Sociedade Alternativa, que conforme acreditava Geisel, era um movimento contra o governo. Raul como alternativa, resolveu mentir descaradamente, disse ao general que tudo isso não passava de um pacto com o demônio. Em uma entrevista, Raul disse o seguinte: "Literalmente é choque no saco. Fui torturado mesmo no governo Geisel. Me pegaram no Aterro do Flamengo, me botaram uma carapuça e fiquei três dias num lugar desconhecido. Aí vieram três pessoas: um bonzinho, um outro mais inteligente - que fazia as perguntas - e um mais "agreste", mais violento. Depois me colocaram num aeroporto e fui direto para o Greenwich Village (bairro nova-iorquino)". O engraçado foi ver os jornais da época atribuírem a viagem de Raul à Nova York, como uma visita a John Lennon.

Mesmo não tendo uma base-teológica definida, a Sociedade Alternativa contava com um selo, o Imprimatur, que deriva do latim e tem como significado "imprima-se". Dentro da Igreja Católica Apostólica Romana, essa expressão é dada aos documentos que são aprovados para liberação ou publicação do material teológico ou antes censurado.


Sociedade Alternativa, Imprimatur, Símbolo, Novo Aeon
O Selo apareceu nos álbuns "Krig-Há, Bandolo!", "Gita", "Novo Aeon" e "Há Dez Mil Anos Atrás. A expressão Sociedade Alternativa - Imprimatur está escrita com letras góticas, à moda da cultura medieval. No centro do logo vemos a apresentação de uma cruz que é a varição da chamada "Cruz Ansata (Ankh)", um hieróglifo egípcio que significa vida e busca de conhecimento e evolução. Na parte inferior da cruz, pode-se observar dois pequenos degraus, na simbologia isto tem como significado a ascensão do pensamento, além de concluir o desenho todo como uma espécie de chave, que abrirá o mundo.


Como Raul não conseguiu elaborar informações concretas sobre a Sociedade Alternativa, houve diversas "regras" que as pessoas começaram a inventar, se tornando assim um contra senso, da única regra verdadeira, a liberdade acima de tudo, aonde cada um poderia fazer o que quiser, quando bem entender.

Ele ainda afirmava que a Sociedade Alternativa iria perdurar pra sempre, pois ele afirmava que ela existia desde antes dos egípcios, inclusive cita que Crowley teria se baseado em antigos papiros para formular suas opiniões, e ainda cita que não é necessário usar palavras ou estandartes para que faça parte da sociedade. Pois ela se baseia mais em uma revolução espiritual do que qualquer outra coisa.

Cidade das Estrelas, Raul Seixas, Paulo Coelho

Abaixo segue o texto que foi distribuído no primeiro show de Raul em SP no ano de 1973. O texto escrito por Raul e Paulo Coelho lança a ideia de Sociedade Alternativa. No ano seguinte, todas as cópias desse manifesto seriam recolhidos pela Polícia Federal e queimados como "material subversivo". Raul foi preso e torturado pelo "Dops" e é "convidado" a se retirar do país, retornando ao Brasil pouco mais tarde devido ao sucesso de seu disco "Gita".



Prefácio
Nós vos saudamos, Maria. Nós vos saudamos José. E nós saudamos os artistas brasileiros que tiveram o silêncio do resto do mundo quando seus trabalhos e seus corpos foram censurados, mutilados, desaparecidos.


O Manifesto
1 - O espaço é livre. Todos tem direito de ocupar seu espaço.

2 - O tempo é livre. Todos tem que viver em seu tempo, e faz jus as promessas, esperanças e armadilhas.

3 - A colheita é livre. Todos tem direto de colher se se alimentar do trigo da criação.

4 - A semente é livre. Todos tem direito de semear as suas ideias sem qualquer coerção da INTELEGÊNZIA ou da BURRÍCIA.

5 - Não existe mas a classe dos artistas. Todos nós somos capazes de plantar e de colher. Todos nós vamos mostrar ao mundo nossa capacidade de criação

6 - "Todos nós" somos escritores donas de casa patrões e empregados clandestnos e careta, sábios e loucos.

7 - E o grande milagre não será mas ser capaz de andar nas nuvens ou camnhar sobre as águas. O grande milagre será o fato de que todo da, de manhã até a note seremos capazes de caminhar sobre a Terra.


Saudação final do 11° manifesto

Sucesso a quem ler e guardar esse manifesto. Porque nós somos capazes. Todos nós, todos nós somos capazes.

Escrito por: Raul Seixas, Paulo Coelho, Sylvio Passos, Christina Oiticica, Toninho Buda, Ed Cavalcant



Adaptado de: Eutanasia Mental

2 comentários:

Expresse sua opinião, ela é bem vinda!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...