domingo, 19 de novembro de 2017

A cena brasileira do Black Metal


Todos os fãs do lado mais sujo e extremo do Metal sabem muito bem que a cena do Black Metal teve início em meados dos anos 80 gerando um caos e trazendo bandas que são referencias até hoje, com destaque para algumas bandas pioneiras como Celtic Frost (formada em 1984 na Suíça), Bathory (fundada em 1983 na Suécia), Venom (que foi formada em 1979 na Inglaterra), dentre muitas outras bandas que marcaram o nascimento de um novo e extremo gênero musical.

O caos estava plantado e começou a germinar tendo sua segunda onda no final dos anos 80 com destaque para a cena da Noruega, que trouxe bandas como Gorgoroth (fundada em 1992), Mayhem (formada em 1984), Darktrone (fundada em 1986, porém aderindo ao Black Metal somente em 1991, por influencia de bandas como Bathory e Celtic Frost), também vale destacar Burzum (fundada por seu único integrante, Varg Virkenes em 1991), dentre muitas outras que não caberiam nessa lista.


Nessa época uma onda de crimes aconteceram na Noruega, como a queima de várias igrejas, suicídios e assassinatos, como o de Euronymous, líder da banda Mayhem que foi assassinado a facadas por Varg Virkenes, fundador do Burzum. Ambos eram amigos, inclusive trabalharam juntos por um período, porém houveram desentendimentos que acabaram em homicídio, um pouco antes de tais acontecimentos outro integrante da banda, Dead, morreu, se suicidando com um tiro de espingarda na cabeça, a foto do corpo do mesmo foi capa de um dos álbuns da banda.

Porém hoje estou aqui para falar um pouco sobre a cena do Black Metal brasileiro, para mais detalhes sobre tais acontecimentos da cena norueguesa acessem a postagem que fiz alguns anos atrás sobre a trajetória da banda Mayhem clicando aqui.

Esse caos que começou em meados da década de 80 se espalhou pelo globo fazendo surgir novas bandas que não se destacaram à toa, dentre estas podemos destacar também algumas bandas da cena brasileira que se encontram submersas no lado mais sujo do underground.

Confiram agora algumas dessas bandas conterrâneas, se você curte ouvir um Black Metal com certeza já deve ter se deparado com pelo ao menos algumas dessas bandas, se não, coloque os fones e aproveite.



8. EVIL


Pioneiros da segunda onda do black metal no Brasil, o paulista EVIL disseminava seus hinos de ódio consagrados ao caos já no remoto ano de 1995, tecendo, no decorrer de longos anos, uma teia de contatos no underground internacional que resultou em colaborações com nomes que figuram entre os mais odiosos e prestigiados do black metal no mundo. Temos, assim, os lançamentos conjuntos com as bandas CELESTIA (França) e MOONBLOOD (Alemanha), ambos de 1999, como o início de uma tradição que levaria o EVIL a unir forças, nos anos se se seguiriam, com uma série de outras bandas ilustres, incluindo BILSKIRNIR (Alemanha), SATANIC WARMASTER (Finlândia), DROWNING THE LIGHT (Australia), ABIGAIL (Japão) e muitas outras. 

Com uma sonoridade de baixíssima fidelidade e uma atmosfera de crueza primitiva, o Evil conseguiu obter grande sucesso em sua proposta de oferecer emanações sonoras do puro Mal aos ouvidos daqueles que anseiam por uma nova era de caos. Reza a lenda que um dos membros do EVIL teria sido preso no final da década de 90 pelo assassinato de um homossexual. Fica a pergunta: qualquer semelhança com os eventos transcorridos na Noruega seria simplesmente mera coincidência?

Confira o álbum Hammerstorm, lançado em 2009.




7. MASEREGOTH

Este bizarro duo paulistano surgiu em 1998 com uma demo de hinos sombrios que levam o ouvinte em uma viagem abismal à Idade das Trevas, lançado pelo lendário selo Southern, através do qual muitos lançamentos do EVIL foram editados.

Na web encontramos poucas músicas e detalhes disponíveis sobre a banda, porém deixo abaixo um vídeo da banda se apresentando ao vivo em 1999 no Curupira Rock Club em Guaramirim, as imagens não são de boa qualidade, porém o áudio está bom, eis um raro registro. 





6. THALLIUM


O THALLIUM surge em São Paulo no ano de 1999 como projeto da sombria e solitária figura de Warwolf, responsável por todos os instrumentos e vocais. A sonoridade remete àquela dos primórdios da horda polonesa GRAVELAND - não, entretanto, ao orgulhoso guerreiro eslavo, equipado com seu elmo e armadura reluzentes, a entoar hinos épicos que evocam a glória do BATHORY em sua era viking; mas sim ao místico encapuzado que conjura, com seus ocultos conhecimentos rúnicos, terríveis bestas e impenetrável escuridão, na qual pode reluzir apenas a afiada lâmina da Morte.




5. DRAUGURZ


Seguindo os passos do BURZUM (percebe-se a referencia na foto acima), algumas bandas foram capazes de conjurar imagens sublimes de melancolia e ódio pagãos através de sua música. Entre tais bandas podemos destacar o WIGRID (Alemanha), o DRUDKH (Ucrânia) e também o catarinense DRAUGURZ. Formado em 1999 e contando com um único membro em sua formação, o DRAUGURZ evoca o espírito torturado pelo seu isolamento em um mundo em ruínas, impelido a seguir as vozes de um orgulhoso passado pagão há muito perdido nas brumas do tempo.




4. INMITTEN DES WALDES


Das profundezas das florestas paranaenses, duas almas torturadas, J. e N., se unem para criar um black metal cadenciado e atmosférico, influenciado por bandas como BURZUM e DRUDKH, não muito distante da sonoridade de seu conterrâneo sulista DRAUGURZ. O INMITTEN DES WALDES lançou no ano de 2009 um split com o finlandês MORTUALIA, projeto paralelo de Shatrag, membro fundador e guitarrista da lendária banda HORNA, do qual foi retirado a música a seguir.





3. GEHEINMIS

De Minas Gerais, temos o único representante desta cena para além do trópico de Capricórnio: trata-se da "one-man-band" GEHEINMIS. Entoando cânticos lúgubres de adoração à natureza em sua língua nativa, o português, a banda surge em 2005 com a demo "Das Negras Montanhas", editada pelo selo Gungnir Productions (finado selo responsável pelo lançamento de uma série de bandas do underground brasileiro como DRAUGURZ, INMITTEN DES WALDES, GHASH e WOODSMARCH).

Ouça a demo.




2. WOODSMARCH

De São Paulo temos mais uma one-man-band praticando um black metal crú e minimalista, com ótimos riffs e, em geral, andamentos menos cadenciados que de seus companheiros de cena, criando uma atmosfera diferenciada para seus hinos de isolamento e orgulho pagão.

(Infelizmente não encontrei nenhuma música da banda disponível na web).



1. GHASH


De todas as bandas aqui apresentadas, o GHASH, de Santa Catarina, pode ser considerado como a mais bizarra e odiosa. A atmosfera extremamente sombria é composta por riffs simples repetitivos à exaustão através de uma parede de ecos e reverberações, acompanhados por uma hipnótica bateria eletrônica e lamentações desesperadas do espírito torturado de seu único membro, Oghor. 

Angústia, depressão e suicídio encontram sua mais hedionda tradução na forma da música do GHASH.

(Assim como o WOODSMARCH, não encontrei nenhum som disponível).


O período em que as bandas acima citadas (entre outras) constituíram o que podemos reconhecer como uma "cena" tem seu início no final dos anos 90 e se estende ao final da primeira década do novo milênio. O ano de 2008 marcou os últimos lançamentos de THALLIUM, GEHEINMIS, DRAUGURZ e WOODSMARCH (as duas últimas dividindo um split album). O ano seguinte traria o último lançamento do INMITTEN DES WALDES, cujo membro N. viria a abandonar o black metal para dedicar-se à música clássica. MASEREGOTH e GHASH lançaram apenas uma demo cada, em 1998 e 2004 respectivamente, desaparecendo logo a seguir. Dessa forma, entre todas as banda aqui mencionadas, apenas o EVIL segue ativo, com diversos splits EPs lançados anualmente.



Adaptado de: Whiplash

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Expresse sua opinião, ela é bem vinda!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...