sexta-feira, 8 de junho de 2018

Playlist de músicas excêntricas que te farão refletir [Parte II]

músicas, dicas de músicas, ouvir músicas

Há um mês atrás escrevi a primeira parte dessa matéria (que vocês podem conferir clicando aqui), meu intuito com esses artigos é compartilhar com vocês algumas das muitas músicas que curto, sons que me passam algum conteúdo para refletir ou até mesmo que tragam sentimentos indescritíveis, afinal o que seria da música sem emoção?

Na lista de hoje constam algumas músicas que conheci recentemente, geralmente quando gosto pra caralho de alguma música ouço até meus canais auditivos sangrarem (desculpem pelo pleonasmo). A quinta das arte acalanta as pessoas desde os tempos mais remotos, e pelo visto as coisas não mudaram.


NARGAROTH - Seven Tears are Flowing to the River



Vamos começar com um som pesado, essa primeira música é de uma banda alemã de Black Metal chamada Nargaroth, formada por um sujeito chamado René Kanwulf Wagner.

Em português, o título da canção ficaria algo como: "Sete lágrimas fluem para o rio", a mesma é bastante melancólica, mas me trás um estado de paz, como se  o som da guitarra, da bateria e o gutural me lavasse a alma.



URFAUST - Voodoo Dust


A primeira música é de uma banda alemã de Black Metal chamada Nargaroth, formada por um sujeito chamado René Kanwulf Wagner.

Ainda continuando no Black Metal, só que dessa vez um som um pouco mais ambiente e sem gutural, Urfaust é um projeto de um cara chamado IX (seu nome real é Willem).

Suas letras falam sobre morte, niilismo e ocultismo, Urfaust possui diversas EPs e álbuns lançados desde a criação do projeto em 2003, porém a música acima trata-se de um cover da banda The Devil's Blood, formada por Selim Lemouchi que veio a falecer em março de 2014, provavelmente o cover trata-se de uma homenagem.

Infelizmente não encontrei o vídeo legendado, porém vocês podem conferir a letra em português clicando aqui.



MALDITA - Peixes


Agora vamos para uma vibe mais nacional e crítica. Maldita se trata de uma banda de metal experimental formada no rio de janeiro (não falarei muito sobre a mesma pois já escrevi uma matéria sobre a mesma no blog, clique aqui para conferir).

O videoclipe acima é integrante da EP intitulada "Montagem", lançada em 2012 e sendo uma divisória de águas em relação a sonoridade da banda, a partir dessa EP a Maldita ganhou um segundo vocalista.

O que me chama atenção nesse trabalho como um todo é a mesclagem que eles fazem entre os solos de guitarra e as batidas de funk carioca, dois gêneros que a primeira vista não tem nada a ver um com o outro, porém eles conseguiram unir essas duas vertentes em um só trabalho, nomeando-o como Montagem.

No clipe acima da música Peixes nos deparamos com uma forte crítica social, o mesmo foi gravado no Aterro Sanitário do Jardim Gramacho, maior aterro da America Latina, onde moram mais de 20.000 pessoas que sobrevivem da reciclagem.

Não tenho o que acrescentar, a obra inteira é uma crítica ao nosso estilo atual de vida (consumista e materialista), veja por si mesmo.

Como diz um dos trechos da canção:

"Vivemos em um mundo onde o que importa são as aparências,
não temos fé, o dinheiro é nossa crença,
o peixe que eu vi nadando me mostrou um mundo em decadência"



SEMDÓ - Do Ventre ao Lixo


SEMDÓ é um músico de Campinas, não sei dizer exatamente quando o mesmo começou a fazer música, mas já faz um tenho que acompanho o trampo dele, que por sinal é algo bem versátil, vale a pena conferir seus álbuns, sua evolução. O mais recente foi lançado no final de 2016 pela Pills and Knives, intitulado "Devil" (vocês podem ouvir clicando aqui).

Do Ventre ao Lixo carrega uma letra puramente niilista, um sample bem simplista (não tem batida) e o refrão final ainda nos mostra uma pegada de Black Metal, um som bastante alternativo para qualquer público.



PAULO ROCHA - Dramaturgia ao Sublime Demiurgo


Para finalizar o nosso artigo, trago um som acústico com uma composição tão enigmática quanto filosófica, Paulo Rocha é um músico de Goiânia, vocalista da banda A Ultima Theoria (clique aqui para saber mais), inclusive o mesmo está com um novo projeto de rap, porém isso é assunto pra outra matéria.

Neste som o mesmo incorpora o papel de alguém que busca conhecer o enredo de sua peça, no caso improvisada, e se questiona a respeito de quem apagará as luzes e as cortinas (do teatro da vida) ao sair, ou seja, quem seria Deus?

Como um bônus vou deixar logo abaixo uma apresentação do músico no XFactor, onde canta esta mesma música ao vivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Expresse sua opinião, ela é bem vinda!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...