domingo, 30 de junho de 2019

Em julho haverá eclipses do Sol e da Lua e ambos poderão ser vistos do Brasil

eclipse, eclipse em julho, eclipse do sol e da lua, eclipse em julho de 2019, eclipses 2019, eclipse do sol, esclipse da lua

Neste mês que se aproxima, Julho de 2019, haverá dois eclipses e ambos serão visíveis do Brasil, ainda que parcialmente.

No dia 2 de julho, acontecerá um eclipse solar total mas que para boa parte da América do Sul, incluindo o Brasil, será parcial. Já no dia 16 de julho, ocorrerá um eclipse lunar parcial, quando será possível observar parte da Lua encoberta.

Acompanhe o artigo para mais detalhes sobre o acontecimento.


ECLIPSE SOLAR TOTAL DE 2 DE JULHO

De acordo com o astrônomo Thiago Signorini Goncalves, coordenador de Imprensa da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB), o eclipse solar do dia 2 de julho só será totalmente visível em uma faixa estreita do céu do Chile e da Argentina. "Nesse caso, o céu estará mesmo escuro durante cerca de 4 minutos, dependendo do local."

A não ser que você esteja viajando por lá, vai ser mais difícil de ver essa mudança no céu. Isso porque, no restante da América do Sul, incluindo o Brasil, o eclipse será parcial. Assim, será possível ver parte do Sol encoberto, mas não ficará totalmente escuro.

eclipse, eclipse em julho, eclipse do sol e da lua, eclipse em julho de 2019, eclipses 2019, eclipse do sol, esclipse da lua

Se você estará em terras brasileiras, a melhor localização para flagrar o fenômeno é mais ao Sul/Oeste. "Porto Alegre poderá ver mais da metade do Sol ocultado; já no Rio de Janeiro e em São Paulo, será mais difícil", afirma o astrônomo.

Thiago explica que, de qualquer forma, o eclipse acontecerá durante o pôr do sol. Isto é, o Sol já estará próximo ao horizonte, se pondo, na maior parte dos locais, antes mesmo do eclipse parcial terminar. Em Rio Branco, no Acre, no entanto, o Sol estará mais alto no céu.

Segundo a NASA, agência espacial dos Estados Unidos, o eclipse total começará às 16h38 (17h38 no horário de Brasília) em La Serena, na Região de Coquimbo, Chile. Em Chascomús, Buenos Aires, Argentina, ele será visto na totalidade às 16h44 (17h44 no horário de Brasília), desaparecendo após o pôr do sol.



O QUE É UM ECLIPSE SOLAR?

Eclipses solares acontecem quando a Lua se coloca entre o Sol e a Terra, projetando uma grande sombra. Aliás, só acontecerá um eclipse solar total visível do Brasil em 30 de abril de 2041. Na América do Sul, depois do fenômeno de 2 de julho 2019, o próximo solar total só ocorrerá em 14 de dezembro de 2020.



POR QUE PROTEGER A VISÃO?

Não é recomendado olhar direto para o sol de forma alguma. Para ver o eclipse, assim, é indicado usar proteção; a Nasa indica até alguns modelos de óculos específicos para isso, porém óculos comuns com proteção contra raios UV são bastante úteis nesse caso, apesar de não totalmente funcionais.

É possível fazer uma projeção do Sol para tentar observar o fenômeno indiretamente. A indicação é usar folhas de papel cartão, fazer um furinho com uma agulha em uma delas e posicionar de costas para o Sol. A outra folha serve de base para refletir a luz solar – formando o eclipse em “menor escala” e de maneira segura. 



ECLIPSE LUNAR PARCIAL DE 16 DE JULHO

eclipse, eclipse em julho, eclipse do sol e da lua, eclipse em julho de 2019, eclipses 2019, eclipse do sol, esclipse da lua

O eclipse lunar previsto para dia 16 de julho será parcial, o que significa que a Lua ficará encoberta apenas em partes, diferente da imagem acima. Ele será percebido na América do Sul, Europa, África, Ásia e Austrália.

Em relação ao Brasil, a indicação é tentar olhar para a direção leste, onde o Sol nasce, para conseguir ver a sombra de quando a Terra se coloca entre a Lua e o Sol. "No Rio de Janeiro, por exemplo, acontece por volta das 18h30, durando até as 20 horas", explica Thiago.



O QUE É UM ECLIPSE LUNAR?

Um eclipse lunar é quando a Lua é ocultada totalmente ou parcialmente pela sombra da Terra, diferentemente dos eclipses solares, não é preciso proteger a visão para assisti-lo, geralmente pode ser visto a olho nu.

Na fase parcial, só uma parte da Lua é preenchida pela sombra da Terra. Mesmo sendo possível vê-lo sem proteção, é indicado usar binóculos, lunetas e outros instrumentos que consigam focar o evento astronômico, tornando assim o espetáculo mais "próximo", assim por dizer.

Adaptado de: VIX

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Expresse sua opinião, ela é bem vinda!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...