quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Filmes sobre magia e ocultismo - Parte I

Lista de filmes sobre magia e ocultismo

Navegando pela internet, procurando alguns bons filmes para assistir, encontrei uma lista de filmes que possuem ocultismo como temática, ao terminar a leitura já salvei a lista, então, resolvi compartilhar a mesma aqui com vocês.

Com certeza são filmes complexos, surreais, que vão além das aparências.

Tratando-se de ocultismo, qualquer pequeno detalhe faz toda a diferença e, o que parece não fazer sentido, se visto por outro ângulo, dá um sentido inteiro à obra, já que esta é um todo composto por partes, portanto, são filmes para assistir com bastante atenção, e se parecer confuso à primeira vista, é válido ver novamente, pois as vezes deixamos passar certos detalhes.

Pois bem, vamos à primeira parte da lista.


1. O GABINETE DO DR. CALIGARI 

[Robert Weine, 1920]

O Gabinete do Dr. Caligari, de Robert Weine, lançado em 1920.

O filme mudo de Robert Weine, em 1920, é frequentemente citado como um dos primeiros filmes do expressionismo alemão, um movimento artístico e cinematográfico que influenciaria o estilo do filme americano noir e inspirava os autores de Hollywood que iam de Orson Welles a Terry Gilliam. 

Em O Gabinete do Dr. Caligari, Weine usa cenários altamente estilizados, iluminação sombria e ângulos abstratos de câmera para contar a história dentro de uma história sobre um hipnotizador maligno que usa técnicas ocultas de controle da mente para comandar um sonâmbulo que carrega em um caixão. 

O falecido crítico de cinema Roger Ebert chamou essa obra prima de "primeiro filme de terror verdadeiro" - o primeiro a retratar um mundo onde "o horror indizível se torna possível".

Assista a obra completa e remasterizada abaixo:


Menção Honrosa: Faust (1926), outro clássico do expressionismo alemão, dirigido por F. W. Murnau. Murnau usa técnicas cinematográficas para recontar o conto alemão lendário sobre um alquimista que vende sua alma ao demônio Mefistófeles para o conseguir poder de acabar com o sofrimento humano.



2. O SANGUE DE UM POETA 

[Jean Cocteau, 1930]

O Sangue de um Poeta, de Jean Cocteau, lançado em 1930.

Em uma fantasia surrealista de Jean Cocteau, O Sangue de um Poeta leva o público ao mundo espelho da inspiração. Escasso em narrativa coerente, o filme é repleto de paisagens alucinógenas e intercalada com imagens hipnóticas.

O enredo nos trás a criação de um artista que ganha vida e o inspira a se aventurar no mundo do espelho, onde ele encontra pessoas estranhas como um fumador de ópio e um hermafrodita, tenta se matar, mas não morre. 

A obra é uma meditação lírica sobre o poder oculto dos sonhos e da comunhão do artista com sua musa inspiradora. Cocteau foi ainda acusado de ter sido um Grão-Mestre do Priorado de Sião, o que só torna tudo mais interessante.


Menção Honrosa:  Orfeu (1950), uma releitura de Cocteau do mito grego que se passa na França pós-ocupação moderna. Juntamente com O Sangue de um Poeta e o Testamento de Orfeu, este filme faz a Trilogia Órfica de Cocteau.



3. CAT PEOPLE: SANGUE DE PANTERA

[Jacques Tourneur, 1942]

Cat People: Sangue de Pantera, de Jacques Tourneur, lançado em 1942


O primeiro filme do produtor Val Lewton responsável pela unidade de horror da RKO, este "filme b" de 1942 estava à frente de seu tempo para a sua representação da sexualidade feminina. 

Embora considerado comum pelos padrões atuais, sua trama sobre uma mulher reprimida que se transforma em uma pantera quando sexualmente excitada foi chocante na época de seu lançamento. 

A mulher, chamada Irena, afirma ser descendente de uma antiga tribo na Sérvia que usava feitiçaria para realizar a transmutação em forma de felino. No entanto, a trama de Cat People nunca é clara sobre se Irena está dizendo a verdade ou se ela é histérica, e sempre deixa a interpretação aberta ao público. 

Os filmes de Lewton eram conhecidos por seus retratos instigantes de assuntos exploradores - à beira da magia e ciência, onde a racionalidade parece absurda. 

Denso e intrigante, ecoando as teorias do psicanalista Wilhelm Reich, Cat People é um filme que demonstra os horrores causados pela repressão sexual.

Confira o trailer da obra abaixo:



Menção Honrosa: A Sétima Vítima (1943), filme igualmente sombrio e desafiador de Lewton acerca de uma seita satânica subterrânea em Greenwich Village, vale a pena conferir.



4. INVOCATION OF MY DEMON BROTHER

[Kenneth Anger, 1969]

Invocation of My Demon Brother, de Kenneth Anger, lançado em 1969, com participação de Anton LaVey.

Curta-metragem de Kenneth Anger, de 1969 dispõe de muitos de seus marcos como cineasta: efeitos visuais hipnóticos, múltiplas exposições e cenários exuberantes, bem como símbolos e rituais de magia pertencentes ao sistema de magia de Aleister Crowley. 

Invocation of My Demon Brother é como uma viagem de ácido, ou melhor dizendo, a primeira viagem de ácido, quando não se sabe onde vai dar. 

O filme conta com a participação de Anton LaVey, fundador e líder a Igreja de Satã, primeira organização satanista a ser reconhecida oficialmente.

A obra é caótica e tensa, mas ainda assim extrema sem deixar de ser bela.

Confira abaixo o curta-metragem:


Menção Honrosa:  The Man We Want to Hang (2002), um documentário de Keneth Anger que aborda como tema as pinturas de Alesteir Crowley, é válido ressaltar que Anger era obcecado pelo ocultista.



5. JUBILEE 

[Derek Jarman, 1978]

Jubilee, de Derek Jarman, lançado em 1978.

Como Anger e Cocteau antes dele, Derek Jarman produziu filmes surrealistas magistrais, pesados ​​em imagens líricas, que exploravam o mundo dos sonhos de idéias ocultas. 

Em Jubilee, John Dee (interpretado por Richard O'Brien) transporta a rainha Elizabeth I da Inglaterra do século XVI para uma Inglaterra em ruínas no final da década de 1970. A visão de Jarman de seu tempo é uma paisagem surreal apocalíptica hipersilizada, invadida por jovens niilistas, onde estruturas sociais necróticas estagnaram a alma da humanidade. O filme apresenta uma série de ícones punk antigos, como Adam Ant e Siouxsie Sioux.

Segue-se o trailer da obra:



Menção Honrosa: A Conversação Angélica (1985), o filme surreal hipnótico homoerótico de Jarman com uma trilha sonora de Coil. Jarman descreveu o filme como "um mundo de sonhos, um mundo de magia e ritual".



6. MAYBE LOGIC: AS VIDAS E IDEIAS DE ROBERT ANTON WILSON 

[Lance Bauscher, 2003]

Maybe Logic: Robert Anton Wilson, de Lance Bauscher, lançado em 2003.

Gravado durante o final da vida de Robert Anton Wilson, este filme é uma ótima introdução às suas idéias e práticas interdisciplinares de "hacks da realidade". 

Maybe Logic explora as teorias interdependentes da RAW sobre mecânica quântica, filosofia oculta, semântica geral e ciência psicodélica. 

O filme oferece um vislumbre de um RAW agressivo, embora otimista, no final de sua vida. Sua sabedoria só se fortaleceu com a idade.

Menção Honrosa: O Mindscape de Alan Moore (2005), um documentário sobre a lenda visionária dos quadrinhos Alan Moore.

P.S. Não encontrei a obra legendada, mas continuarei procurando para assistir, e claro, compartilhar aqui com vocês.

[...]

Por hoje é só, aguardem a segunda parte da lista, que trás obras igualmente surreais e intensas, repletas de simbolismo e magia.


Traduzido e adaptado de: Ultraculture

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Expresse sua opinião, ela é bem vinda!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...