quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

2 Girls 1 Cup - A história por trás do vídeo que enojou a internet [+ Vídeo Real]


[LINK ATUALIZADO]
_________________________________________________________________________

Se você nunca ouviu falar de 2 Girl 1 Cup o que está fazendo aqui nesse blog? Saia já desse domínio... brincadeiras à parte, caso já conheça o vídeo (o que é muito provável) trago para vocês a história por trás do mesmo, ao contrário do que muitos pensam, pasmem, 2 Girls 1 Cup é uma produção brasileira.

Para quem não conhece o vídeo, não tenho descrições, como alguém que desconheço disse: "uma imagem fala mais que mil palavras", complemento: "um vídeo fala mais que mil imagens" (afinal, um vídeo não passa de milhares de imagens em sequência, ou frames).

Acho que estou falando demais, primeiro vamos à história por trás do polêmico vídeo, deixei o link do mesmo acima para verem com seus próprios olhos (e por responsabilidade própria) do que se trata 2 Girls 1 Cup da forma mais (im)pura.


ORIGEM


Vídeo 2 Girls 1 Cup

Hungry Bitches, popularmente conhecido como 2 Girls 1 Cup é um filme pornográfico brasileiro, produzido pela Fachini Media. Trata-se da relação sexual entre duas mulheres envolvendo o fetiche de coprofilia (excitação sexual através do contato com fezes), o filme contém cenas de defecação, coprofagia e vômito. A canção de fundo é Lovers Theme, do álbum Romantic Times, do artista francês Hervé Roy.

Esse fato talvez surpreenda a muitos que conheciam o vídeo mas não sua história, pois vejo em muitos comentários onde internautas acreditam que trata-se de vídeo pornô gringo, por conta da trilha sonora francesa, porém, é uma produção totalmente nacional.

2 Girls 1 Cup foi um termo criados pelos internautas, e trata-se apenas do trailer do filme completo, intitulado Hungry Bitches (em tradução literal: Vadias Famintas).

O filme já figurou em séries de TV como Family Guy, Law and Order: SVU, The Inbetweeners, South Park, Tosh.0 e Orange Is the New Black. 

Em entrevista à publicação americana Esquire, George Clooney comparou o vídeo a um rodeio, dizendo que o objetivo era "ver quanto tempo você consegue assisti-lo."



PRODUÇÃO

A história por trás do vídeo 2 Girls 1 Cup

O vídeo é de autoria do distribuidor e pornógrafo brasileiro Marco Antônio Fiorito, que se descreve como um "fetichista compulsivo". Fiorito começou a ter interesse em produzir filmes em 1994, e em 1996, com sua esposa, Joelma Brito, usando seu nome artístico Letícia Miller, ele começou um negócio de filmes de fetiche e logo mudou para a coprofagia, o que não foge da vasta lista de fetiches.

O filme foi produzido pela MFX Video, uma das várias empresas de propriedade de Fiorito.

Autoridades nos EUA classificaram alguns filmes de Fiorito como obscenos e ajuizaram acusações contra Danilo Croce, um advogado brasileiro que mora na Flórida, listado como um oficial de uma empresa que distribui os filmes de Fiorito nos Estados Unidos. 

Fiorito explicou que se soubesse que vender seus filmes nos EUA eram ilegais, ele teria parado. Em sua declaração ele afirmou "eu teria parado porque o dinheiro não é a principal razão que eu faço esses filmes". Ele então acrescentou: "Eu já fiz filmes fetichistas com fezes / fezes usando chocolate em vez de fezes. Muitos atores fazem filmes de dispersão, mas não concordam em comer fezes."

Caso ainda não tenha visto, o link para assistir ao vídeo está no topo desse post.

9 comentários:

  1. São reais mesmo essa fezes e vomito? não parece não!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, a Dayana se precipitou ao afirmar no final do artigo que se tratam de excrementos reais, editei o post, não há comprovações, porém ao meu ver, parece ser real, de qualquer maneira, verdadeiro ou não, a sensação de náuseas que o vídeo passa é bem real!

      Excluir
  2. Monetizando 2 mulheres comendo merda que piada, medo dessa gente monetizar a mãe de calcinha na internet.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Everton, o blog está em uma fase experimental, venho vez ou outra ver como andam as coisas por aqui, uma amiga está tomando conta do domínio, porém suas aulas estão voltando e, enfim, ambos estamos com pouco tempo.

      Aproveitando a reforma do Mortalha estou experimentando novas formas de monetização, como a de links externos e programas de afiliados, os pop-ups atrapalham um pouco a navegação, porém a monetização é necessária, afinal preciso pagar o domínio e a hospedagem do blog, são praticamente seis anos publicando aqui no Mortalha, e só vim monetizar em 2016.

      O foco é compartilhar informação e entreter os leitores que gostam de consumir um conteúdo "fora dos padrões", não criei isso aqui para ganhar dinheiro e nem é o foco, porém desde que comprei um host e um domínio tenho alguns custos, pode não parecer, mais criar conteúdo para um blog exige tempo e esforço, além de um certo domínio de computação no geral, trabalhei todos esses anos de graça, afinal, o que recebo com a monetização mal dá pra pagar os custos de manter o blog, e sobre monetizar "mulheres comendo merda", paremos para pensar, eu não fiz o filme, o autor que pagou as atrizes, o câmera e bancou todos os custos da produção, assim como as pessoas que queriam consumir o conteúdo compraram o filme.

      Não se trata de monetizar um conteúdo em específico, minha proposta é monetizar links externos (sejam eles quais forem), é algo experimental, busco uma forma de monetização que não atrapalhe a interação dos leitores com o blog, até encontrar, explorarei as mais diversas formas.

      Caso não esteja contente, basta não clicar e procurar o vídeo por conta própria, ou se está descontente, não acessar o blog, é simples.

      Excluir
  3. Kkkkk n e uma coisa q olha na tarde de domingo

    ResponderExcluir
  4. Mds tem gente vendo em 2020 zkzkkskskskd

    ResponderExcluir
  5. Só não entendo por que ninguém se revolta com essas nojeiras.

    ResponderExcluir

Expresse sua opinião, ela é bem vinda!