segunda-feira, 23 de março de 2020

Goetia Luciferiana - Uma definição preliminar de magia e magia negra [+PDF]

Definição de magia e magia negra segundo o grimório Goetia Luciferiana, de Michael Ford.

Confira as outras partes deste artigo clicando nos links abaixo: 

________________________________________________________________

No primeiro artigo dessa série falei de uma forma resumida sobre a Goetia Luciferiana, assim como deixei a introdução original do grimório de mesmo título publicado por Michael W. Ford, organizado em português por Magus Avohaj.

Lembrem-se que não estou incentivando ninguém a praticar (ou deixar de praticar) esse sistema magicko, como um estudante e praticante de ocultismo, dando enfoque aqui à Goetia Luciferiana, quero apenas compartilhar conhecimento com outros magistas ou iniciantes que desejam se aprofundar nos assunto mas não sabem por onde começar.

Os textos que estou compartilhando são do primeiro capítulo (Conceitos Preliminares) do grimório Goetia Luciferiana original, sem adulterações. 

Apenas acrescento algumas imagens e adendos.

De qualquer modo, deixarei abaixo o link para download do PDF em português, caso se interessem em baixar, afinal, se forem levar os estudos a sério e possuem pretensão de praticar Goetia Luciferiana, o mínimo que devem fazer é estudar o grimório, ir tomando notas, buscando referências externas (com cautela) e preparando-se para entrar no círculo.


Goetia Luciferiana de Michael Ford, livro para download


(Se não conseguir acessar, recomendo verem o pequeno tutorial que escrevemos ensinando a acessar o link em dois passos, 


Hoje falaremos, ou melhor, deixarei o Michael Ford falar em suas palavras algo que muitos confundem: magia e magia negra.

No texto, o termo magia é complementado com um (K) fazendo referência ao termo Magick, cunhado por Alesteir Crowley para diferenciar o seu sistema mágicko da magia como é conhecida vulgarmente (ilusionismo):

Segundo o Magick in Theory and Practice:

"Magick é a Ciência e a Arte de causar mudanças 
de acordo com a Vontade".

Já organizei um artigo apenas falando sobre Magick, para ler acessem:



Agora vamos ao segundo conceito preliminar do Goetia Luciferiana.


UMA DEFINIÇÃO PRELIMINAR 

DE MAGIA E MAGIA NEGRA


É significante explanar as definições do contexto desta obra, não apenas uma maneira rígida de fundamentação, mas também uma sugestão para uma feliz aplicação deste Grimório. Este livro não defende que o indivíduo desenvolva um “comportamento profano”, ações anti-sociais tampouco filosofias repugnantes que podem ser definidas como não-saudáveis para o Self. 

A essência deste livro é explorar as fundamentações luciferianas da evolução humana, a próxima etapa em nossa própria espiritualidade e ideologias filosóficas. Qualquer comportamento negativo e ações criminosas (como definidas pela sociedade corrente) são consideradas um dissuasivo de nossa evolução individual, assim não são aceitáveis.

Magia(K) é a Grande Arte da evolução da consciência, esta é ascensão específica do Self e um portal diante da mais alta articulação do Eu. Magia(K) é a Arte do Sol, que é abundante e belo, o verdadeiro fundamento do Ouro Resplandente. 

Magia(K) é a evolução do espírito e do Self, o verdadeiro caminho da meditação entre nós e os Deuses. Isto é finalmente contudo, a separação de nós de todos os Deuses e a “Coroa Esmeralda” que nós adotamos e com ela tornamos-nos igualmente lindos Deuses e Deusas individuais em nossos muitos caminhos.


Símbolo do self, representando também o Ouro e o Sol

Ironicamente (ou não já que não creio em coincidências) o símbolo do Self na psicologia jungiana é comumente representado por um ponto dentro de uma circunferência, símbolo esse que também representa o ouro e o sol.


Magia(K) negra como revelado pelo modelo corrente é a arte da auto-deificação através de processos antinomianos, por aquela auto separação da ordem natural que movemos entre o mundo da caminhada e dos sonhos. 

Na arte da Bruxaria Primal esta é definida como cingindo o Dragão do Self.

O círculo no moderno contexto da Magia(K) e nos Trabalhos Cerimoniais não é designado para manter as forças fora, tal como era na (antiga*) filosofia, cuja qual e embora é empregada desta maneira, uma fundamentação leiga que causa ao magista um fracasso inicial. 

O Círculo é um vão para o autocontrole; isto é nossa própria influência de que nós somos e viremos a ser. Assim, não temas forças externas à si, pois seu maior inimigo é interior. Qualquer magista que está capacitado à convocar algum espírito da Goetia devia estar preparado para encarar aqueles que evocam – senão que sofra as conseqüências. 

O magista moderno entende que o Trabalho não pode ser bem sucedido
quando o intento não é puro ou claro. Se você buscar evocar primeiro um Djinn da Goetia, entende como o espírito refere-se à sua mente, como este deve manifestar-se em seu ser. 

Não deves evocar alguma coisa que não esteja confortável no trabalho consigo. Não podes entrar em outro com medo de muitas forças que ambicionas comandar, seja elas angélicas ou demoníacas.


Ilustração de Baal feita por Alesteir Crowley

Representação ilustrativa de Baal, o primeiro daemon da Goetia, um rei bastante poderoso, também tendo sincretismo com outros nomes como Bael, Belzebuth, Enlil, dentre outros, o desenho foi feito por Crowley, constando na obra "A Goetia ilustrada de Alesteir Crowley".


Magia Negra é trabalho com forças avessas ou obscuras que são traduzidas como sombrios aspectos mágicos da psique. Estas sombras do Self são essencialmente nosso próprio auto-desenvolvimento e estabelecimento como indivíduos. Isto requer feitiços bem disciplinados e além disso bem
balanceados, à salvo dos portões do fracasso e da loucura. 

Para olhar dentro dos olhos de Seth e Lilith-Hecate ou mesmo de Ahriman e para se ver fora das forças que devorariam quaisquer daqueles que não preparados para serem portadores da eclosão da Chamas Negras, um espírito
luciferiano é portanto ele mesmo. 

Uma vez que este pacto é feito, quando o Sigillium Diaboli é introduzido na mente, no espírito e no corpo, então é impossível retornar - somente a ascensão do espírito como “além” da matéria mortal.

No moderno mundo dos magistas, Satã é nosso iniciador ou estimulador da psique. Primeiro lembrete, na doutrina pré-islâmica Satã-Azazel é considerado a
Imaginação-Sufismo reconhecendo Satã como:

A imaginação interior, do próprio ser. 

Satã é assim o anunciador do nosso caminho, a verdadeira fonte de nossa riqueza. Na contemplação da forma e modelo de Deus, Lúcifer (Satã) é a forma ideal para alinhar-se ao senso iniciático.

Satan in His Original Glory, pintura de William Blake

Satan in His Original Glory, pintura de William Blake.


Azazel rebelado contra a ordem natural (God – Ain Soph) murmura independência, hediondo para o reino da terra e vangloriado e despertado no inferno (terra – reino ctónico). 

Ao contrário do que receava e temia, escondido, a compreensão de Lúcifer era independente em sua mente e existia independentemente da ordem natural e despertou todos os outros anjos caídos para manterem-se fortes. 

Neste contexto, Lúcifer foi o criador da Ordem do Caos. 

Este é um modelo semelhante de iniciação, que nós trabalhamos favoravelmente reconhecendo nosso próprio sendo de individualidade, para expandir o círculo de controle.

Os Demônios e Djinns da Goetia são tanto 
forças iniciáticas como benéficas!


Consideramos as definições de anjo e demônio. A significância é benéfica no contexto deste grimório. Espíritos angélicos são solares (ar) baseados em espíritos que possuem alta articulação de si, de modo que, eles ressoam com aspectos mais desenvolvidos do self.


A comunicação com o guia iniciático/Sagrado Anjo Guardião. Demônios são espíritos/Anjos Caídos que insurgem das sombras e da escuridão da terra, mas são significantes e benéficos como os Espíritos Angélicos. 

Em união estes Djinns são do Fogo e do Ar, assim inflamam a verdadeira essência do self na iluminação do ser

(Chama Negra – Self - Percepção e Ser).


Magia(K) Negra é o desenvolvimento e o refinamento do Self em todos os níveis. Isto pode ser cansativo como o auto-questionamento, testando seus limites, mas pode prazeroso no final. 

É necessário não nascer preguiçoso ao se trabalhar com estes espíritos, pois o desejo imanente ao trabalho desintegrará e causará numerosos problemas. 

Esperar focar-se e criar resistência para propor-se ao Trabalho é essencial – contudo não faça concessão aos espíritos para controlar ou alterar seus pensamentos. 

O desafio é grande, poucos desejam se capacitar para passar além dos testes estabelecidos neste Grimorio, não entendem a transliteração então.

Por favor entenda que este grimório não foi somente criado porque eu sentia que podia 'produzir alguma coisa melhor do que Aleister Crowley', nem um símbolo de desrespeito para com o seu trabalho original. 

Ao contrário, este é devotado a ele e à sua supracitada edição. Isto é um mapa
parcial e registro de meu Trabalho inicial e pessoal no Caminho Luciferiano, e algumas coisas que eu sinto que devia ter uma nova aproximação apresentada. 

A nova apresentação deste Trabalho não quer suscitar dúvidas que não devam ser abertas, ou ao contrário, necessitem ser abertas por algum
tempo. 

Zazas, Zazas, Nasatanada Zazas – Nestas palavras, Eu teço este encanto...


CONTINUA...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Expresse sua opinião, ela é bem vinda!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...