domingo, 5 de abril de 2020

"Um Livro Infantil dos Demônios" ensina crianças a conjurarem tais entidades

Ilustração de capa do livro A Children's Book of Demon de Aaron Leighton.

Essa é uma ideia bastante peculiar, quando vi a postagem pensei que se tratava de algum título sensacionalista, porém pesquisando um pouco mais acabei por concluir que a obra intitulada: "Um Livro Infantil dos Demônios" é real.

O livro foi publicado e amplamente distrubuído, por cerca de $90,00 através de sites como Amazon (clique aqui para conferir), Walmart, dentre outras livrarias.

Segue abaixo o resumo do livro escrito pelo autor Aaron Leighton:

"Não quer tirar o lixo hoje à noite? Talvez você esteja cheio de lição de casa? Talvez esse valentão esteja sendo uma chatice de verdade? Bem, pegue seus lápis de cor e suas habilidades de desenho de sigilos e invoque alguns demônios! Mas tenha cuidado, mesmo que esses espíritos sejam mais tolos do que assustadores, 
eles ainda são demônios."


Confira abaixo uma pequena resenha do livro e outros detalhes sobre o mesmo:



SOBRE O LIVRO

"Leighton integra um elemento prático deste guia brincalhão que convida os leitores a conjurar demônios gentis escrevendo seus sigilos, que servem como "um número de telefone" diretamente para o espírito.

 Os demônios precisam de invocação específica (Corydon exige um sigilo "desenhado em vermelho brilhante, a cor do nariz de um palhaço - de preferência enquanto você está rindo") e expressa características e habilidades específicas que variam de pragmático a bruto. 

Eles incluem "Flatulus", cujo talento é soltar gás; "Quazitoro", especialista em encontrar objetos perdidos; e "Spanglox", "o demônio mais bem vestido do submundo", que oferece conselhos de moda de ponta. 

As representações de Leighton dos demônios de vários olhos, dentes múltiplos e afiados são estranhas sem serem assustadoras, e o conceito criativo provavelmente inspirará alguns leitores a criar seus próprios demônios. Idades 5-10."


Na resenha acima, quando fala-se de "invocação específica", lembrei-me do conceito de servidores na Magia do Caos, saiba mais clicando nos links abaixo:





Para desenhar o sigilo do demônio Corydon é exigido tinta vermelha (geralmente as cores representam emoções), já o ato de desenhá-lo enquanto se está sorrindo representa a "energização do sigilo", conceitos simbólicos bastante utilizados por praticantes de magia, não entrarei em muitos detalhes pois já escrevi artigos inteiros sobre isso, como os dos links acima.

Um Livro Infantil de Demônios trata-se basicamente um grimório (um manual de bruxaria para evocar entidades) para crianças. 

Ele contém 72 demônios que podem ser evocados pelas crianças para seu benefício pessoal (que é a definição de magia negra). 

Cada demônio é acompanhado por um sigilo (um símbolo representando a "assinatura" de determinado demônio) e um desenho infantilizado (contendo simbolismo oculto) representado a entidade.

Abaixo está o exemplo da representação do demônio Corydon, a descrição de como conjurá-lo e seu respectivo sigilo:

Ilustração da obra Um Livro Infantil dos Demônios, representando Corydon e seu sigilo.

Não podemos deixar de notar que o desenho lembra um pouco da simbologia de Baphomet, além dos chifres, um braço apontando para baixo e outro para cima, representando o axioma hermético:

"O que está em cima é como o que está embaixo"


Já o nome Corydon não é algo meramente aleatório.


 Há um personagem pedófilo nos "Éclogas" de Virgílio: um pastor, com tal nome, que é apaixonado por uma criança chamada Alexis.

A associação do nome com "amor de menino" foi cimentada pelo autor francês André Guide, que intitulou seu livro (defendendo a pederastia e homossexualidade) com o nome: "Corydon".

Um escolha de nome meio estranha para um personagem de um livro infantil.

Abaixo segue mais alguns dos demônios contidos no livro:

Ilustração da obra Um Livro Infantil dos Demônios, contendo o desenho de um demônio de cor violeta, com os olhos brancos, vestindo sapatos roxos, uma calça jeans e uma camisa rasgada com a estampa de um pentagrama invertido.

Foto de Um Livro Infantil dos Demônios, mostrando uma página com um ser que parece um duende, ou elfo, com uma expressão maligna segurando um urso pegando fogo, representado algo relativo ao mal.

Ilustração de Um Livro Infantil dos Demônios representando uma criatura estranha com um rabo, dentes e orelhas grandes, usando um óculos e segurando nas mãos um lápis e um livro, representando algo referente à educação.

Foto de Um Livro Infantil dos Demônios, mostrando uma página com uma criatura verde, vestindo pantufas e um vestido rosa, expelindo uma gosma da boca e com uma bandagem tapando um dos seus olhos.

Ilustração de Um Livro Infantil dos Demônios, contendo uma entidade com três pernas e três braços, segurando um taco de hockey e uma bola de basquete, representado algo relacionado à esportes.


Ilustração de Um Livro Infantil dos Demônios, contendo a imagem de um ser em formato de serpente, com chifres e segurando um relógio, ao lado um sigilo de invocação, um texto descritivo e o seu nome Hyypnos.


É interessante ressaltar a semelhanças entre os sigilos apresentados em Um Livro Infantil dos Demônios com os selos utilizados nos rituais de Goetia, um sistema de magia que envolve a evocação de demônios (daemons).


Ilustração de Um Livro Infantil dos Demônios mostrando sigilos de conjuração dos demônios.

Alguns dos sigilos presentes em Um Livro Infantil dos Demônios.




Imagem contendo a representação ilustrativa dos 72 selos ou sigilos dos demônios da goetia.

Sigilos (ou selos) dos 72 daemons da Goetia.


Não vou falar de Goetia aqui, citei apenas por conta da semelhança dos selos, perdi a conta dos posts que escrevi sobre tal assunto aqui no Mortalha, portanto caso queira obter mais informações, confiram os artigos nos links abaixo:

GOETIA - A CHAVE MENOR DE SALOMÃO

GOETIA - OS 72 DAEMONS

GOETIA LUCIFERIANA - INTRODUÇÃO [+PDF]



SOBRE O AUTOR


Um Livro Infantil dos Demônios foi escrito por um artista canadense chamado Aaron Leighton. Abaixo segue uma pequena biografia do mesmo:

"Aaron Leighton é um ilustrador e diretor de arte premiado, além de fã de tudo o que é oculto. Seu primeiro livro na Koyama Press, Spirit City Toronto, foi publicado em 2010. Aaron mora em Toronto e passa seu tempo livre lutando com um gato preto."


Fotografia de Aaron Leighton

Fotografia de Aaron Leighton, há algo de peculiar nessa imagem, mas não comentarei sobre o que se trata, deixarei que vejam por si mesmos.

Estou escrevendo este artigo não para dar lições de moral, nem nada do tipo, apenas para compartilhar uma informação que achei bem interessante e digna de constar aqui no blog. Como já devem saber, assim como Aaron Leighton, também sou "um fã de tudo que é oculto".

A proposta do livro além de divertida me chamou atenção pelo fato de ressaltar a liberdade de expressão religiosa, afinal, é comum ensinar cristianismo para crianças desde tenra idade nas escolas (e em casa), porém quando foge desse âmbito é considerado algo anormal e até mesmo repulsivo.

Leighton possuí meu total apoio, espero que o livro ganhe uma versão brasileira, mesmo não sendo uma criança, fiquei curioso acerca do conteúdo do mesmo, se o dólar não estivesse tão alto, iria adquirir ainda hoje um exemplar.

Caso queiram me criticar, os comentários estão liberados, no mais:

Viva a liberdade em todas as suas formas!


Por: David Alves Mendes
Referências: The Vigilant Citizen

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Expresse sua opinião, ela é bem vinda!